Subscribe:

Ads 468x60px

-

29 de maio de 2012

Boas Vindas



Quase todas as noites eu me pego pensando em alguma coisa. Algumas úteis, outras fúteis. Dentre resumos do dia, acontecimentos, mulheres lindas, pessoas novas, novos papos, situações inusitadas e gargalhadas entre amigos, algo relevante me vem à mente. Acho que nos dias de chuva a minha mente trabalha melhor. Não, não era essa a afirmação relevante. Era essa: o ser humano é movido a paixões. E parando pra analisar de forma fria, realmente isso faz muito sentido.

As paixões nos ocorrem em qualquer lugar. Na praia, no cinema, no cursinho de inglês, no metrô lotado, na rua, na chuva, na fazenda... E são sentimentos que desencadeiam outros sentimentos numa avalanche inesgotável. Eles acabam te pegando. Cedo ou tarde você está preso na teia deles. Mas muitas vezes é quando você menos espera. Vamos exemplificar pra ninguém se queixar de estar perdido ou fora do rumo.


Muitas vezes as suas preferências já estão formadas. Seja por influência da sociedade, pelas suas experiências, ou por outro motivo qualquer. Mas eis que aparece aquela. Aquela que você nunca havia visto antes. Ela é diferente de tudo que os anos conseguiram lhe mostrar. Parece linda, não sai mais da sua mente. Depois dos breves minutos em que ela deu o ar da graça você traça a forma mais eficiente de conseguir mais informações sobre a mesma e como fazer pra que ela integre a sua vida o mais rápido possível. Você consegue sentir aquele arrepio característico, pois de tão boa que ela é, parece marcar a sua pele. Aí a paixão te alcançou. Não tem mais jeito.

O contrário também acontece. Pode ser uma que de tão chata e insistente, você passe a odiá-la com todas as forças. Por mais que ela se esforce em te agradar, ela nunca vai conseguir. Talvez porque te lembre momentos ruins, ou realmente ela “não faz o seu tipo”. Ou ainda aquele motivo maior: de tanto tê-la por perto você “enjoou”. O remédio pra isso seria dar um tempo, respirar, procurar outras com o mesmo estilo e talvez voltar para a que um dia lhe atraiu. Enquanto você está em uma, milhares de outras insistem em aparecer. Pode ser bom experimentar as outras. Mas muitas vezes quem se apaixona é fiel. Fiel até demais. Não se abre às oportunidades que a cada mês conseguem se renovar.

Poderia estar falando das mulheres, mas não estou. Tudo que eu falei se remeteu a música. A ideia de personificação da música é algo que eu aceito como uma verdade cada vez mais absoluta. Ela está com você em todos os momentos: ao acordar, num beijo doce, num momento romântico, nas melhores festas, nos momentos de agonia, como remédios pra esquecer a quem suas lembranças sempre remetem, num passeio na praia... Enfim. A vida é feita de momentos e lembranças. E muitas vezes ambos ganham uma trilha sonora imposta por você ou aleatoriamente selecionada pelo destino, como se a vida tivesse a função shuffle. Com a música as coisas ficam mais belas. Belas como as paixões que nascem no repente de um segundo ou em quinze segundos da introdução de uma canção. E a música sempre será uma das minhas, invariavelmente. Caso você também possua esse sentimento, sinta-se em casa. Caso contrário, este blog pode ser a oportunidade que faltava pra você. Apaixone-se.

Musiquem-se!

10 comentários:

natalyarruda disse...

Ta perfeito. *--* que orgulho, Alan. Tinha me identificado com o quarto parágrafo,mas descobri depois que você tava falando de música. hehe Parabéns, muito bom mesmo. :D

Curta Música disse...

Ah... Que bom que gostou, Naty! Por enquanto só serão as apresentações nessa semana. Pra sexta feira nós estamos trabalhando um post bem interessante. A ideia é postar às segundas, quartas e sextas. É só acompanhar por aqui ou pelo Face. :*

Yagokun disse...

Boas vindas aceitas.
E você escreve ainda melhor do que eu me recordava.
Muito sucesso pro blog. Parabéns aos caros Alan e Mari!!

Curta Música disse...

Valeu, Yago! Espero que eu consiga passar um pouco dessa minha inesgotável paixão pra vocês. Daqui a pouquinho tem mais! Mantenham os Faces conectados e acompanhem o nosso blog.

Abraço!

Laura Lira disse...

Amei o texto! Ele é atemporal e consegue ilustrar a capacidade da música de permear as diferentes situações de nossas vidas. Obrigada por nos presentear com esse blog! Sucesso, você merece.

Curta Música disse...

Fico feliz, Laura! Vejo então que começamos com o pé direito. rsrsrs Teve post novo - o de hoje - e o de sexta está bem legal. É só acompanhar agora. :*

Nataly Rocha disse...

Adoreeei o texto, parabéns, muito lindo mesmo !

Curta Música disse...

Valeu, Nataly 2. rsrsrsrs

Em breve iniciaremos os trabalhos pra valer e eu manterei todo mundo atualizado por Facebook e por aqui. ^^

Unknown disse...

Incrivel como me indentifiquei com esse post!!! parabéns!! vo continuar acompanhando =D

Curta Música disse...

Que bom! Fico feliz. Quero que as pessoas se identifiquem com o que é colocado aqui. Acompanhe essa segunda semana que vem com novidades.

Abraço!

Postar um comentário